O mito do largar tudo

Foto autoral. Flores do outono, Baltimore / novembro, 2021.

“Largar tudo não é para qualquer um”, comentou uma amiga ao telefone. Concordei com ela. Nem todas as pessoas gostam de mudança, nem todas as pessoas querem mudar, nem todas as pessoas precisam mudar. E está tudo bem. Mas tem o principal: nem todas as pessoas podem mudar. A expressão “largar tudo” me incomoda um pouco.

Lembro quando passei uma virada de ano na Chapada dos Veadeiros, lugar roots, sem luxo, e a dona do lugar em que eu estava hospedada disse que havia largado tudo em São Paulo. Ela tinha um carrão, uma casa grande que fez de pousada, já tinha morado de frente para a praia no Rio. Ela não estava começando a vida do zero na Chapada dos Veadeiros.

Ela não era uma hippie que saiu da cidade grande com cinco mudas de roupas, cinquenta reais para comer e pedindo carona na estrada. Alguém já viu uma pessoa que mal tem onde morar largar tudo para viajar de bicicleta vendendo artesanato? Não há problema em quem escolhe viver em um lugar mais simples ou montar um novo negócio.

O ponto é: existe largar tudo? Chutaria que quase sempre quem tem o privilégio de “largar tudo” possui uma base por trás, um lugar para onde ir, uma família para dar suporte financeiro, uma significativa reserva de dinheiro. Esse negócio de largar tudo às vezes é cheio de partes não contadas.

Mudanças são processos gradativos de amadurecimento, planejamento e, sempre lembro, privilégio. Cada um tem sua história, seu tempo, seu desejo. Cada um tem sua montanha e seus obstáculos, uns mais e outros menos. É preciso levar isso em conta. Por isso o amor pela história, por entender como o caminho foi construído. O presente é apenas uma fotografia.

Obrigada pela sua leitura! Até a próxima crônica!

Clique aqui e converse comigo também pelo Instagram.

8 comentários sobre “O mito do largar tudo

  1. elcieloyelinfierno

    Bela e profunda reflexão! Só os privilegiados podem “largar tudo” para pensar que ficarão mais felizes com um novo projeto. Mas há milhões que, por um lado, não podem deixar o pouco que têm e o que dizer de quem deixou tudo por muito tempo, porque não tem nada. Uma calorosa saudação.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s