Eu sinto muito

Não sei se você sabe, mas tem gente que sente muito. Em alguns casos, reflete na intuição forte, em corpo arrepiado, ansiedade e, até mesmo, depressão. Analisando a mim mesma, me enquadro em todas as situações, menos na última. Mas já tive muitas crises de ansiedade paralisantes que hoje reconheço como sinais de que eu estava no lugar errado.

Meu pai sempre fala que sou muito sensível. Não no tom de elogio, geralmente é a estratégia que ele usa para cortar meus argumentos quando questiono ou reclamo de alguma coisa. E a falta de diálogo é algo que me tira do sério. Mas é o jeito dele.

Hoje vejo até que o velho está certo. Eu sou sensível, eu sinto muito. Lembro de uma cena de quando era criança: a mãe de duas amiguinhas mandou elas irem pra casa, brigando. E elas não tinham feito nada. A mãe não queria ouvir. Chorei muito. Você não pode sofrer pelos outros, foi o que minha mãe disse pra mim.

Mas eu sigo sentindo por mim e pelos outros. Eu sinto intensamente tudo, em qualquer parte do corpo. Sinto o que faço, sinto as pessoas ao meu redor, sinto os lugares, sinto as ações. Arrepio, irrito, rio, choro, assusto, corro.

Não existe estar por estar, fazer por fazer, ficar por ficar. Não tem isso de água morna, de vazio. Sou movida a sentido. E meu sentir sempre está certo, embora algumas vezes eu insista em negá-lo. Ou finjo que não vejo. É isso: eu sinto muito, o tempo todo.

Você também sente?

Foto autoral. Procurando flores na Tijuca / Rio de Janeiro, 2020.

57 comentários sobre “Eu sinto muito

  1. Alex Antunes

    Oi, Nicole!
    Que texto denso e profundo! Não saberia o que comentar primeiro, mas acredito que estar no lugar errado atrapalha muito! Acredito que também seja possível sofrer pelos outros. Não é isso que significa a palavra compaixão? Com + paixão (sofrimento) = sofrer com. Porém o sentido em que você falou me pareceu mais negativo. Às vezes, sofremos o impacto do sofrimento alheio. Eu também sou muito sensível aos sentimentos das pessoas ao meu redor (alegria, raiva, tristeza, entusiasmo, etc). Acredito que ser sensível seja uma característica do temperamento ou da alma da pessoa. Eu acredito que ser sensível seja algo positivo, mas que devemos aprender a não nos expormos a sentimentos alheios que vão nos prejudicar. Eu tento fazer isso, mas confesso que acho isso difícil. Talvez por isso as pessoas que nos cercam seja tão importante. Como é ruim viver rodeado de pessoas insensíveis, duras e até mesmo más.
    Que Deus nos livre de uma coisa dessas!

    Curtido por 4 pessoas

    1. Também tenho tentado não levar pra mim o que é do outro, Alex! E é bem difícil. Mas, por exemplo, ver TV é algo muito pesado pra mim. Eu sofro com as notícias de violência. É algo que evito muito. E, de fato, por isso precisamos estar cercados de pessoas que estejam na mesma sintonia que nós. O que também não é fácil. Afinal, não estamos bem o tempo inteiro e também precisamos ser ombro amigo daqueles que amamos. Beijos!!

      Curtir

      1. Alex Antunes

        Nicole, achei interessante você ter trazido à nossa conversa essa questão da televisão. A televisão é um importante meio de comunicação, mas, infelizmente, é muito negativa. Os tele jornais, então, são muito sensacionalistas. Sinceramente assistir televisão não me faz bem. Por isso, evito ver TV. Prefiro ver as notícias através da internet, seja em vídeos ou textos.
        Concordo com você que também precisamos pensar no bem estar das pessoas que amamos.
        Beijos!!

        Curtido por 1 pessoa

      2. Eu também acompanho pela internet e olho bem rápido. O enfoque da TV é muito no negativo e isso afeta nosso bem-estar. Temos que alimentar nossa alma com leveza. Beijos e obrigada pela presença 😃

        Curtir

      3. Alex Antunes

        Concordo com você. Temos que alimentar a nossa alma com leveza.
        Obrigado por me acolher aqui neste seu espaço.
        Obrigado também por sua presença benfazeja. 😀
        Beijos!

        Curtido por 1 pessoa

      4. Alex Antunes

        De nada! Você merece. 🙂

        Obrigado pelo feedback, Nicole!

        Acho que posso dizer que tirei a palavra “benfazeja” do baú para uma pessoa especial, pois percebi que você tem uma sensibilidade em linguagem e literatura.

        Curtido por 1 pessoa

  2. Alex Antunes

    Respondendo à sua pergunta de maneira mais direta, eu também sinto muito. E fazendo um trocadilho, sinto muito por sentir muito. A propósito, não sei se você quis fazer um trocadilho com o título do seu texto, mas “esse sentir muito por sentir muito” não poderia caber em seu título? Bem, não quero impor a minha interpretação, mas apenas colocar uma questão que eu achei interessante.

    Curtido por 1 pessoa

      1. Alex Antunes

        Obrigado! Fique preocupado em ter feito uma interpretação da qual você não gostasse. Ainda bem que não foi esse o caso. 🙂🙂

        Curtido por 1 pessoa

    1. Pois é, Ana! É um sentir que faz parte da nossa essência. E hoje eu até gosto, viu? Tenho aprendido a evitar certas coisas e acho que ter sensibilidade me traz muitas coisas positivas. E leva outras tantas ruins. Um beijo 🌻

      Curtir

  3. VEM comigo!

    Você é uma pessoa que se entrega por inteiro. Pessoas com esse tipo de característica, costumam ser mais verdadeiras. Isso é bom, é uma qualidade. Eu também sou assim!..

    Curtido por 3 pessoas

  4. Hudson José Capanema

    Já me questionei porque tenho tanta afinidade com você, já que, aparentemente, somos tão diferentes! Aí vejo esse lindo texto e consigo entender o porquê! Por mais paradoxal que possa parecer, talvez até para você, somos muito parecidos! A diferença é que você é muito mais intensa! Também, acredito que a vida tenha me ensinado a ser um pouco menos esponja das dores alheias!

    Curtido por 4 pessoas

    1. Eu acho que somos muito parecidos!! O que muda é apenas a geração! Imagino que o intensa que você imagina tenha relação com a liberdade e tem mais a ver com meu momento de vida. Se fosse vc no meu lugar, provavelmente o caminho seria parecido. Ah, também to aprendendo a ser menos esponja. Mas é difícil!!

      Curtir

  5. Bruno Morais

    Muito seu esse texto, dos que li o mais talvez. Você consegue revisitar sua infância, suas sombras e complexos, você está vendo esse processo de individuação.

    Todos os dias somos invadidos inconscientemente e conscientemente por vários acontecimentos diários, drenar é preciso. Muita literatura e escrita para lavar as dores da alma!

    Tenha medo é de não sentir. Já sentindo, alguma hora, procure se preservar! Beijos Nicole.

    Curtido por 4 pessoas

    1. É um processo bom se conhecer, olhar pra si mesmo. Eu to gostando muito e escrever tem ajudado demais. Uma coisa puxa a outra. E é bom mostrar nossos vários lados porque outros podem se ver nesse lugar. Ninguém é perfeito e isso é ótimo. Beijos!!

      Curtido por 1 pessoa

  6. elcieloyelinfierno

    A sensibilidade é misericordiosa! Quem cuida do outro em qualquer circunstância, onde a mão injusta do ser humano e sua ganância tornam este mundo algo tóxico. Existem muitos como você – eu me incluo – que dia a dia tornam a vida do outro algo melhor. Portanto, para evitar essas sensações incômodas, ve o que fazer de acordo com esse sentimento nobre que você tem. Você verá que sua atitude para com o outro lhe proporcionará harmonia e paz em seu coração. Acho que a pior coisa que você pode fazer é paralisar-se diante do indesejado. Aja, você sabe muito bem como. Uma calorosa saudação.

    Curtido por 2 pessoas

    1. Obrigada pelo carinho! E o mais desafiador pra gente é quando não conseguimos melhorar a vida do outro. Por exemplo, ver a desigualdade do nosso lado e não poder fazer nada. Ver animais morrendo por causa das queimada do pantanal e também não conseguir fazer nada. Mas, com o tempo, percebemos que foge do nosso controle. Só podemos sentir, desejar o melhor e fazer o que podemos dentro de nossos limites. Um beijo! 🌻

      Curtido por 1 pessoa

  7. Penso da mesma forma que vc explanou em seu texto Nicole…assim como vc sempre fui e sou muito sensível…sensibilidade é algo,sentimento não sei de fato mas creio que faz parte da nossa essência…ja nascemos assim…sofremos por nós e por todos e por tudo aquilo que nos é tocado ao coração!!

    Curtido por 2 pessoas

      1. Sim e bem isso msm…bem além…confesso que sofro não gostaria de ser assim..pq sinto as pessoas como de fato são nao no modo dw julgar e dps com um tempo acabo vendo que nao estava errada…e na maioria das vezes eu acabo me afastando por sentir isso

        Curtido por 1 pessoa

      2. Também acontece comigo! Percebo as pessoas e as situações com muita facilidade. E depois a vida mostra que eu estava certa. E nem sempre precisamos fazer algo com o que sentimos, apenas estar atenta… Dar passos com consciência. 😉

        Curtido por 1 pessoa

  8. Não que sejamos melhores ou piores…mas acredito tbm que nao são todas as pessoas que sintam essa sensibilidade..e de alguma forma elas nos ajudem pois enxergamos as coisas além do normal..pelo menos comigo é assim.fica c Deus!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Te entendo completamente! Já me senti muito alheia porque eu via e vejo as coisas de modo diferente da maioria. Acho que todos tem sensibilidade e intuição, mas uns mais que os outros. E uns são muito racionais e não dar atenção. Beijocas!!

      Curtido por 1 pessoa

  9. mariogordilho

    Texto muito legal, espontâneo, corajoso, e que dá margem a várias interpretações. Tentando me analisar também, apesar de achar não ter a sensibilidade a que você se refere, sou muito sensível e empático. Sou do tipo que se emociona com uma música, o que dizer então de uma situação negativa, de aparente injustiça. Mas com o tempo e a experiência dos meus 40 e muitos anos, compreendi melhor que a caminhada pertence a cada um, que eu não posso, e nem devo, abraçar o mundo. Não posso, e não devo, andar os passos de outro. Mas posso, e devo, iluminar os caminhos de quem quer que seja. Tomara que a minha sensibilidade capricorniana, espírita, possa me ajudar a atrair cada vez mais luz aos meus caminhos e aos dos que eu puder ajudar. Já seria um feito e tanto.

    Curtido por 2 pessoas

    1. É cuidando da própria luz que conseguimos iluminar o que está a nossa volta! Até porque não conseguimos ajudar se não estamos bem, o caminho é esse mesmo. Gosto dos textos em que cada um pode levar para suas experiências pessoais e não fica restrito a uma ideia. Acredito que esse tenha funcionado bem! 🙂💜

      Curtir

  10. A minha sensibilidade não é tão sentimental, é mais sensitiva mesmo. Minha irmã que é parapscicóloga vive me dizendo isto. É meio como ter o sexto sentido apurado e ter uma percepção maior de situações que outros não enxergam ou não sentem na mesma intensidade. Pena que é algo inconsciente, queria saber usar isso a meu favor.

    Curtido por 2 pessoas

    1. Eu tenho as duas coisas e acho até que a sensibilidade me desperta o lado “sentimental”. Mas não sou sentimental que vive sofrendo, mas que sente algo em relação ao sofrimento do outro. Esse sexto sentido que vc diz chamo de intuição. Faço o possível para escutar sempre. Talvez vc também escute a sua!

      Curtido por 1 pessoa

  11. ” Me permito sentir para saber lidar” – Essa frase faz muita referência. Eu com certeza falaria para você, Nicole. Ter calma e acreditar que tudo vai cooperar para o seu desabrochar. Mais do que isso, tudo começará a fazer sentido um pouco mais tarde. Mas vai- Até as noites em claro, em medo, e em meio a uma realidade que machuca demais. Ao final, apesar de tudo é preciso aprender que não podemos mudar o que já foi feito. Revisitar, entender e curar faz parte desse mesmo caminhar. Chegamos até aqui por quem somos, quisemos, tentamos ser. Somos os traumas, os anseios, os desejos, os sonhos, as vitórias, os erros, os acertos, os encontros e também os desencontros. Olha, não há problema em ser, é bonito demais comemorar o nosso florescer. – Mas também compreender que é sempre tempo para se ver e se perceber. Espero, Nicole, que saiba que dói ser doar, ser intenso, dói entender como se é, como se vive, como se ama, como se faz, se refaz. Mas vai valer a pena, tá bom?! Acredita no que lateja nesse peito e vamos embora.

    Curtido por 2 pessoas

  12. Sim, eu também sinto! E esse sentimento a mais nos faz querer colocar pra fora em palavras, música ou qualquer outra forma de expressão. Nós sentimos demais por nós e pelos outros. E a empatia é uma força poderosa de mudança.

    Curtido por 2 pessoas

  13. Sensacional. Me identifiquei muito com seu texto, Nicole. As vezes sinto que isso é um privilegio e as vezes sofro tanto que verdadeiramente gostaria de saber como me educar pra sentir menos. Acredito que a resposta esteja no tempo e no entendimento de que amadurecer nossa reação em relação aos sentimentos é um exercício a ser amadurecido pro resto da vida. Ser sensível implica em ser visitado por sensações que estão totalmente fora da nossa alçada e que nos pegam de surpresa, as vezes nos piores momentos. Internalizar e criar mecanismos(saudáveis) para lidar com eles é um caminho longo e individual, mas que se paga pelo benefício e o privilegio de ser alguém que respira arte e não objetifica as relações e o mundo.

    Curtido por 2 pessoas

    1. Que lindo, Raphael! Muito bom te ver aqui. Adorei sua análise. Sentir vibrar os sentimentos proporciona um outro olhar sobre a vida. Como você disse, um privilégio, apesar de ser difícil de vez em quando. O amadurecimento vai mostrando quais são nossos limites saudáveis e vamos aprendendo a lidar com o que vem do outro. O que não significa, como você disse, passar a objetificar as relações e o mundo. A gente segue sensível. Ainda bem! 💜

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s