E se pudéssemos ir e vir?

Aeroportos são a maior prova de que somos presos. É, ninguém é livre. Quem já fez viagem internacional sabe como imigrações podem ser tensas. E tirar vistos para alguns países? Nem se fala! Até mesmo dentro do próprio país tem lá suas tensões.

Sua mala, por menor que seja, pode ser vasculhada. Sua roupa pode ser analisada. Seu cheiro, pele. Sua carteira. Tudo. Parece um ar de constante desconfiança. Não podemos ir e vir como um pássaro que alça voo quando quer. Existem barreiras. A mais nova, não podemos esquecer, é a COVID-19.

É um medo danado de pegar ou transmitir. Tensão pelos vários termômetros espalhados. E se detectar febre? Me mandam para onde? São formulários preenchidos com a responsabilidade de dizer a verdade: Por onde passou? Quando? Teve contato com alguém que testou positivo para coronavírus?

Nos dias de hoje, aeroportos viraram ainda mais algo passageiro. É ficar o mínimo de tempo possível, sem contato próximo com desconhecidos, máscara no rosto e muito álcool em gel. Apesar de tudo, eles ainda dão uma boa e ilusória sensação de liberdade. É só entrar num avião, apertar os cintos e é possível atravessar o oceano. Não é mágico?

É bonito observar esse lugar de idas e vindas. Tem chegadas e partidas, abraços de saudade, reencontros, mudanças de vida. Não deve ter sido fácil ter passado tantos meses de silêncio e vazios. Suas portas estão começando a abrir de novo. Para novos voos.

Feche os olhos e me diz: Para onde você gostaria de ir?

Foto autoral. Da janela do avião. Cancun / México, 2020.

38 comentários sobre “E se pudéssemos ir e vir?

  1. Tenho um filho que mora em Portugal. Ele e a namorada haviam agendado uma viagem ao Chile para o dia 30. O consulado chileno informou que os vistos estão suspensos. Ontem o teste foi feito. houve resultados de teste positivos. Portanto, ele não poderia ter a liberdade de ver as montanhas ao redor de Santiago. Nem fique à vontade para ver as nuvens passarem.
    Em outra ocasião será.
    Bom final de semana
    Manuel Angel

    Curtido por 1 pessoa

    1. hudsoncapanema

      São tantos os lugares que eu gostaria de ir! Os que já conheço, os que quero conhecer ! Também gosto da sensação de atravessar oceanos, voar milhares de quilômetros.
      Já estou pensando em voos domésticos, mas ainda não tenho coragem de fazer viagens internacionais. Se já rola um pouco de estresse nas imigrações em tempos “normais”, imagina nos tempos da COVID? E se você é reprovado na verificação de temperatura ou cismam com você por algum motivo? Pra onde vão te mandar? E também acho que não conseguiria ficar mais de 10 horas seguidas com máscaras!
      Prefiro esperar um pouco mais e viajar com um pouco mais de segurança. Bjs

      Curtido por 2 pessoas

      1. Os voos domésticos são mais razoáveis. Tenho apenas um ano e meses no Chile e fiquei com várias viagens pendentes devido à quarentena. O primeiro será para a Ilha de Páscoa. É uma ilha vulcânica na Polinésia e famosa por suas 900 estátuas de pedra chamadas Moais. Não há como recuperar o ânimo e sair para aproveitar a vida.
        Bom domingo
        Manuel Angel

        Curtido por 1 pessoa

      2. Manuel, a ilha de Páscoa deve ser algo surpreendente! Torço para que você consiga ir no próximo ano. Aproveitar a vida se tornou algo meio desconfortável, não dá para relaxar completamente sabendo o que está acontecendo no mundo. Ótimo domingo!

        Curtido por 1 pessoa

      3. Desde que sejam tomadas as devidas precauções, pode viajar como diz, a saúde em primeiro lugar. Obrigado pela recomendação. Você é um amiga maravilhoso.
        Me encanta tu nombre, Nicole

        Curtido por 1 pessoa

      1. elcieloyelinfierno

        Oi, nicole; Desculpe a demora em responder, mas hoje estive no evento “El Planeta medita”. O que te respondi, é se você acredita que mesmo fora de qualquer aeroporto do mundo, o ser humano é realmente livre? Me compreende? Uma calorosa saudação.

        Curtido por 1 pessoa

      2. Ahh deve ter sido bom esse evento! Não, acredito que não somos livres. Se fôssemos, qualquer um poderia ir e vir a qualquer momento e para qualquer lugar, por terra, ar ou mar. Saudações 😉

        Curtir

  2. Acho que fiquei tanto tempo isolada nesse ano, que a minha vontade nem é tanto um destino específico, mas só ir par onde quer que eu pudesse ver gente, conhecer gente, matar a saudade desses primeiros encontros com o diferente.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Eu estava me sentindo sufocada sem conhecer coisas novas. Foi maior doideira viajar nesse momento, mas ao mesmo tempo maravilhoso porque não peguei nada cheio. Quando se sentir confortável, tenta achar um lugarzinho no Brasil que não esteja aglomerado. Se precisar de ajuda ou tirar dúvidas, to aqui! Beijão 💜

      Curtido por 1 pessoa

      1. Essa sensação que tenho também.
        Então, amanhã vou para Curitiba a trabalho e dependendo de como estiverem as coisas, vou aproveitar para dar uma escapadinha pro litoral do Paraná mesmo rs. Mas de qualquer forma, só de ir já vai dar uma acalmada na alma!
        Muito obrigada, Nic ❤️
        Bjs 🌺

        Curtido por 1 pessoa

  3. Minha primeira viagem de avião foi curta, mas, inesquecível e empolgante… Tenho medo de altura, mas, não senti nenhum medo do avião lá no alto… Me encantei… (Também pudera, já sonhei ser astronauta). Esta viagem foi para Brasília. BH x Brasília e vice-versa. Depois desta, já fiz várias, inclusive, internacional, e, encorajei e viabilizei (pagando mesmo) por exemplo, viagens para minha mãe (BH X Londrina). Mas, uma coisa além do que dissestes me chama atenção nos aeroportos. Com raras exceções, a desigualdade social brasileira, é ainda, mais evidente.
    Abraços.

    Curtido por 1 pessoa

  4. No meu caso sou quse sempre escolhida para passarem um pedaço de papel nas mãos e cinto. Sou rebelde e deixei de tirar o cinto, mas mesmo sem ele já fui escolhida. A situação é motivo de risadas para meus filhos: Mãe, de novo? rsrsrs

    Curtido por 1 pessoa

  5. Espero que este confinamento passe rápido. Já tenho saudades de viajar, aventurar por aí…
    Este ano teria ido para Marrocos se não fosse o Covid.
    Vamos fechar os olhos e pensar que isto vai passar em breve.
    Bom post Nicole.
    Um abraço.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s