O dia que quase morri

Eu devia estar na quinta série, não lembro exatamente. Era aula de Inglês e foi um evento trágico-cômico-terrível. Estudei em uma escola tradicional católica e era proibido chupar pirulito dentro da sala de aula. Embora – pasmem – eles vendessem na cantina durante a hora do recreio.

Como boa crítica às regras sem nexo desde sempre, eu comprava meu pirulito na hora do intervalo e cortava o palito quando entrava na sala de aula. O ritual se repetia toda semana. Não era uma inovação minha: metade da turma criou esse hábito um tanto revolucionário.

As freias fingiam que a gente seguia as regras e a gente fingia que obedecia. Percebemos que algumas coisas só mudam personagens – e o momento. O problema foi que, num belo dia, o pirulito, que estava na minha boca solto, sem o palito, escorregou até a minha garganta. Lembro da cena até hoje.

Eu não conseguia falar nem respirar. Até que uma amiga percebeu o que tinha acontecido e começou a gritar a professora. A professora, coitada, não sabia o que fazer comigo. Começaram a gritar um monte de coisas: “levanta os braços”, “corre”, “calma”.

Eu já estava ficando roxa até que a professora desceu para o pátio comigo, correndo, e uma mulher alta, negra e decidida me abraçou com força pelas costas, fez umas manobras e, em questão de segundos, o pirulito foi cuspido para fora. Obrigada a ela, que salvou minha vida. E, claro, fiquei um bom tempo sem chupar pirulito.

Clique aqui e converse comigo também pelo Instagram.

Foto autoral. Rosa que floresceu / Maio, 2021.

25 comentários sobre “O dia que quase morri

  1. Alex Antunes

    Nicole, é como você disse, isso foi “trágico-cômico-terrível”. Você pode dizer que nasceu de novo nesse dia.

    A senhora que salvou você, provavelmente, usou a manobra Heimlich. Vou compartilhar aqui um vídeo que mostra como ela é feita.

    Caught on camera: Utah teen saves choking friend with Heimlich maneuver during school lunch

    Curtido por 1 pessoa

  2. Alex Antunes

    Se não me engano, a senhora que lhe salvou aplicou em você a manobra de Heimlich.

    Manobra de Heimlich no adulto (OVACE)

    Curiosidade: Como pronunciar Heimlich.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Seria bem melhor se pudesse ter o palito completo, né? hahaha
    Eu passei por uma situação parecida com uma bala de amora, daquelas que são grandes e vão soltando as bolinhas com o tempo. No meu caso, eu bebi uns dois litros de água pra tentar dissolver tudo o mais rápido possível. Desde então, nunca mais comi a tal bala.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Nossa, Pedro!! Deve ter sido angustiante demais! Que bom que deu certo beber água, no seu caso. No meu o pirulito entalou na garganta e era impossível quase coisa. Credo! Hoje eu rio contanto essa história, mas foi bizarro. Também traumatizei e até com algumas balas tenho medo hahahaha

      Curtido por 1 pessoa

  4. Que susto não? Faz parte da nossa história infantil. Eu nesma passei por algo parecido mas, ao invés de pirulito, foi um pedaço enorme de manga que desceu errado. Aff! Pensei que chegaria do outro lado antes do combinado, rs.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s