Fugindo de casa

A culpa da minha tentativa de fugir de casa foi do meu irmão, claro. Eu devia ter por volta de doze anos e ele dez. Meus pais estavam trabalhando e provavelmente era alguma folga da escola porque estávamos sozinhos em casa. A guerra começou logo cedo.

Era só uma televisão e eu queria assistir ao desenho que nem me lembro mais o nome e ele queria assistir Pokémon ou algo do tipo. Começou a confusão generalizada, nada de consensos. Nessa época, ele ainda não era maior do que eu, então eu arriscava cair nos tapas.

Como nada foi resolvido por vias democráticas, liguei para a juíza que estava disponível no momento e decretei: “Vó, você precisa vir aqui em casa porque estamos quebrando o pau e eu não aceito assistir o que ele quer de novo. Caso você não apareça, eu vou fugir”.

Dito e feito. Minha vó apareceu lá depois de uns cinco minutos e não me encontrou. A pobrezinha ficou doida e ligou para os pais de amigos, foi me procurar nas casas de conhecidos, chorou. E meu irmão sem mexer uma palha, obviamente, e assistindo seu desenho na maior paz.

Depois de não me encontrar, minha vó voltou para a casa dos meus pais e estava prestes a ligar para eles para avisar da minha fuga. Até que, como se nada tivesse acontecido, eu saí de trás da porta do banheiro, caminhei até a sala e disse: “Oi, vó, estou aqui. Foi só para você aprender a me ouvir”. Pré-adolescentes…

Clique aqui e converse comigo também pelo Instagram.

Foto autoral. Flores de amor / junho, 2021.

14 comentários sobre “Fugindo de casa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s