De cara com ele

Foto autoral. Folhas do outono, Baltimore / Novembro, 2021.

Dizem que para tudo há uma primeira vez na vida. Quando ficamos de cara a cara pela primeira vez foi no inverno, eu estava na cama e ele simplesmente apareceu correndo no quarto. Eu me assustei, claro. Não esperava uma visita sem hora marcada.

Fiquei constrangida e com medo, sem saber o que fazer. Até que ele saiu em direção à sala e fiquei sem notícias dele, sem saber o paradeiro. Mas algumas pistas seguiam pela casa, parecia que ele fazia umas visitas às escondidas de vez em quando. O que fazer? Fingir que não via ou descobrir mais sobre ele?

O tempo passou e um dia, depois de assistir a uma série, subia as escadas para chegar ao quarto e lá vem ele descendo as escadas de novo. Dessa vez passou por mim mais rápido e foi rumo à porta. O sentimento não foi de medo, mas de irritação.

Como pode ele aparecer assim? Sem nem respeitar o espaço alheio. A decisão estava tomada. Viria alguém conferir a segurança da casa, porque estava difícil dormir. Ele poderia aparecer a qualquer momento e sabe-se lá o que era capaz de fazer.

O rapaz chegou, checou todos os espaços abertos da casa, colocou armadilhas e disse para ficarmos atentos. O sono estava mais tranquilo até que teve um barulho esquisito vindo da cozinha. Corremos pelas escadas e lá estava ele: o pobre Shrek na ratoeira. E o pior é que ele está de volta.

Obrigada pela sua leitura!

Um beijo e até a próxima crônica,

Nicole.

Clique aqui e converse comigo pelo Instagram.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s